Campanha alerta para as hepatites virais em Belém

Da Redação - Agência Belém de Notícias - 11/07/2017 17:06

  • / JULHO AMARELO / 11/07/2017 17:06

    Campanha Julho Amarelo oferece testagem gratuita para o diagnóstico de hepatites virais em Belém.

  • / JULHO AMARELO / 11/07/2017 17:06

    Dona Sonia Pacheco participa de todas as campanhas de saúde: " É uma proteção pra gente e para a família".

  • / JULHO AMARELO / 11/07/2017 17:06

    O locutor Humberto Silva incentiva todos a fazerem o teste, porque ser der positivo o tratamento pode ser imediato .

  • / JULHO AMARELO / 11/07/2017 17:06

    Reginaldo Jr, gerente do Casa Dia, ressalta o empenho da prefeitura para a inclusão do tratamento de hepatites no Casa Dia.

  • / JULHO AMARELO / 11/07/2017 17:06

    As ações da campanha Julho Amarelo estão disponíveis em 29 UMSs de Belém e 16 ESFs até o final do mês.


Julho é o mês escolhido pelo Ministério da Saúde para reforçar as ações em prol do diagnóstico e do tratamento das hepatites no país. Em Belém, nesta terça-feira ,11, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, a prefeitura deu início à campanha do “Julho Amarelo” com uma cerimônia de abertura e ação de saúde no Centro de Atenção à Saúde em Doenças Infecciosas Adquiridas (Casa Dia). Na ocasião, também foi inaugurado o serviço de referência municipal para tratamento de pessoas com hepatites.

A intensificação das ações neste mês é destinada à prevenção e ao diagnóstico precoce, visto que as hepatites são doenças silenciosas e preveníveis em muitos casos. “É um mês de alerta e de intensificar o trabalho que é feito durante o ano todo. Queremos chamar a atenção para o diagnóstico, que está acessível com testes rápidos em 29 Unidades Municipais de Saúde e em dezesseis Unidades de Estratégia Saúde da Família em Belém. Para prevenção, o município disponibiliza gratuitamente preservativos masculinos e femininos, vacinas contra as hepatites A e B em todas as salas de vacina da rede e investe na orientação educativa de cuidados de higiene e manipulação de objetos perfurocortantes”, explica Cledson Sampaio, coordenador municipal da Referência Técnica de Infecções Sexualmente Transmissíveis, HIV/Aids e Hepatites Virais.

A aposentada Sônia Pacheco, 60 anos, acordou bem cedo para ir ao Casa Dia. Ela ficou sabendo da ação pela própria equipe da unidade e, além dos testes, também lanchou e cortou o cabelo. “Sou muito preocupada com a saúde e sempre faço esses testes. Acho importante para controle nosso e para fazer tratamento se der ‘ok’ (o teste) para a doença. É também uma proteção para a gente e para a família”, afirma.

De acordo com dados do Sistema de Agravos de Notificação (Sinan), em 2017, Belém já registra 89 casos de hepatite confirmados, sendo 57 positivos para hepatite C. “A hepatite C é a forma mais grave e preocupante porque pode causar cirrose e câncer no fígado e pode levar o indivíduo à morte”, diz Reginaldo Jr., gerente do Casa Dia.

O gerente ressalta o investimento do município para a inclusão do tratamento de hepatites no próprio Casa Dia. “Antes o paciente era diagnosticado e encaminhado para a Santa Casa ou Uepa, para tratamento. A partir de hoje, ele pode ser referenciado pelas unidades de saúde de Belém direto para ser tratado pela equipe de profissionais do Casa Dia. É um grande avanço que torna o Casa Dia referência no tratamento também”, destaca.

Para o locutor Humberto Silva, 50 anos, o teste é um cuidado necessário “Fiz o teste por achar muito importante. Muitas vezes a gente tem a doença e nem sabe. Por isso, se tiver que descobrir, que se descubra cedo e se cuide. Todo mundo deveria fazer esse teste. É rápido, é gratuito e todo mundo atende a gente muito bem”, garante.

As ações do “Julho Amarelo” continuam nas Unidades Municipais de Saúde até o final do mês, com testagem, orientação e distribuição de material informativo.


 

Texto: Paula Barbosa
Foto: Tássia Barros - Comus
Secretaria Municipal de Saúde (SESMA)